22 setembro, 2015

Metrofor: insegurança e descaso com usuários

Usuários do Metrô de Fortaleza (Metrofor) vivem situação de insegurança constante ao usar o serviço. O Governo do Estado retirou os vigilantes que ficavam nos vagões durante as viagens, aumentando o risco de roubos, furtos etc. Anteriormente haviam 3 ou 4 vigilantes em cada vagão, sendo que hoje não se vê nenhum, ficando estes apenas nas estações. Além de ajudar a coibir crimes, os vigilantes zelavam pelo cumprimento de algumas regras tais como o uso de assentos prioritários por idosos, gestantes etc. Na foto feita ontem, 21/09/15, por volta das 14h, em um trem que ia no sentido Fortaleza-Pacatuba, o homem, que está acidentado, não encontrando assento disponível, simplesmente deitou-se no piso do vagão, com risco de outro acidente.

Mesmo cobrando passagem desde outubro de 2014 e tendo havido extensão no horário de circulação dos trens, a situação continua precária. Os trens circulam de 6h40 às 19h, de segunda a sábado.
Não há definição com relação aos horários intermediários em que os trens circulam e nem sobre a quantidade dos mesmos. Há quatro composições, mas normalmente o Metrofor funciona com 2 ou 3 trens pois há quebras e panes constantes, embora o próprio site do Metrofor afirme que em 2009 foi firmado contrato para aquisição de 20 composições.

Diariamente há atrasos no serviço que muitas ultrapassam uma hora entre a circulação de um trem e outro, prejudicando usuários.

Até hoje a Linha Sul do Metrofor possui 2 estações inconclusas e que não são usadas.
Em 2014, o Tribunal de Contas da União constatou que a obra do Metrofor foi superfaturada. As obras da Linha Leste, para as quais foram destinadas bilhões, também estão paradas.
Há ainda uma série de outros problemas relacionados ao funcionamento do Metrofor. Exemplos: Na maioria das estações não há placas de sinalização interna.
O metrô conta com sistema de som e letreiros luminosos nos vagões, mas quase nunca estes são utilizados, tendo os usuários que “adivinhar” em qual estação se encontram. Como os trens foram comprados na Itália, as barras horizontais para as pessoas se segurarem durante o trajeto, foram projetadas para europeus, o seja, são muito altas. O cearense, que é de estatura mediana ou baixa, sofre para conseguir apoio. Isto poderia ser resolvido facilmente colocando alças, que até o momento inexistem.

Algumas vezes os trens circulam com ar condicionado desligado, transformando o metrô em uma saúna e não há banheiros nas estações. Não há bilhetagem eletrônica e a compra de passagens se dá com tickets de papel, embora já estejam colocando catracas eletrônicas em algumas estações, que ainda estão inoperantes

Uso diariamente o serviço e nunca vi fiscalização de espécie alguma. Também não tomei conhecimento de nenhuma punição para quem utilizou o metrô para “pegadinhas” em programa televisivo no início do ano. Em se tratando do Metrofor, durante os governos Cid Gomes, a regra foi o descaso com usuários e contribuintes. Infelizmente, a gestão Camilo Santana está dando continuidade a este legado infame.

Atualização

Dia  24/09/15, novamente o Metrofor voltoua paralisar atividades e fechou estações. A queda de uma árvore suspendeu o serviço. O Portal Diário do Nordeste registrou o fato. Colaborei na matéria com sugestão de pauta, informações e imagens.

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | coupon codes